Informações ao paciente

logo2

Existem sete tipos de prótese de quadril, feitas para substituir áreas lesionadas em uma das regiões mais importantes para a sustentação do corpo, seja ao ficar de pé ou sentado. Cada uma serve para um tipo de operação, e o médico ortopedista, juntamente com o paciente, irá optar pela melhor opção. Abaixo, veja cada uma delas.

tipos de protese de quadril

Prótese parcial: utilizada quando apenas a cabeça do fêmur precisa ser substituída, como nas fraturas do colo femoral, paciente debilitados, ou com risco aumentado de luxação (a prótese sair do lugar).

Prótese total: caso as cartilagens articulares estejam comprometidas, esta versão será usada, principalmente nos processos degenerativos da articulação, como a artrose.

Elas podem ser de 3 tipos, cimentada, não-cimentada ou híbrida (com relação de como a prótese é fixada no osso)

Prótese cimentada: sugerida para pacientes em que o osso tem pouca capacidade de crescimento e remodelação, pois ela é fixada imediatamente ao osso por um cimento acrílico.

Prótese não cimentada: diferentemente da citada acima, a fixação é feita naturalmente pelo processo biológico com o crescimento ósseo para dentro da prótese. Sugerida para corpos que conseguem suportar pressões durante o ajuste do cirurgião e com capacidade de promover esta fixação.

Prótese híbrida: é uma junção da cimentada com a não cimentada. Uma de suas partes é fixada ao osso com o cimento acrílico e a outra pelo próprio organismo.

As superfícies de movimentação da prótese temos algumas opções:

Metal, Polietileno, Cerâmica, cada qual com sua características;

Componente acetabular com mobilidade dupla: utilizada quando as outras próteses demonstram instabilidade, esta pode ter uma menor taxa de luxação.

Prótese metafisária: indicada para preservar os ossos, principalmente do calcar femoral e o esponjoso proximal.